Acessar versão desktop

MODA

ACESSÓRIO

BEAUTÉ

LIFESTYLE

BLOGS

MARGOT STREET

Tamanhos grandes em brechós: como garimpar peças plus size de segunda mão

30 / 05/ 2017

 By Paula Guerra

Quem mais AMA e não dispensa um bom brechozão? Eu curto muito garimpar peças vintage e dar a minha cara para elas através de customizações ou ajustes. Mas assim como nas lojas convencionais, os tamanhos grandes são ignorados e para quem é plus size, nem sempre é fácil encontrar roupas estilosas de segunda mão.

 

Aqui vão algumas dicas para arrasar nas compras em bazares e brechós por aí!

Tamanhos grandes Brechó das Cinco - Plus size

1) Vá sem pressaEu considero essa dica a mais importante de todas! Olhar atentamente, experimentar, se imaginar com as peças escolhidas faz toda diferença. Comprar em brechós tem a ver com desapego, então, evite levar se você irá abandonar a comprinha no armário. Conferir cada cantinho do evento com calma é fundamental para não estimular a compulsão e para adquirir roupas que serão suas queridinhas, por isso, reserve todo tempo do mundo para comprar da forma mais consciente possível.

 

2) Avalie a possibilidade de incrementar ou melhorar a peça – Se você não encontrou aquele item must have, pense no quanto você poderia dar um up em outras peças curingas! Os valores dos bazares e brechós são bem em conta e você poderá usar técnicas de customização ou apostar na sua costureira de confiança para arrasar. A camisa ficou pequena? Que tal aplicar um tecido diferenciado nas laterais e ganhar dois números a mais? O jeans ficou grande? Vale levar para uma profissional fazer “preguinhas”, né não? Super válido!

 

3) Confira a sessão masculina – Foi no evento e não achou nada do seu tamanho na sessão feminina? Sem problemas, você pode garimpar no setor masculino (amo forte!) onde as confecções são maiores e igualmente lindas. Aproveite que a moda está ao nosso favor, com a febre do oversized, e procure aquela jaqueta soltinha, aquela camisa social compridinha ou um blazer com pegada boyfriend, por exemplo.

 

4) Procure eventos inclusivos – Seria lindo se todos os brechozinhos por aí tivessem opções plus, mas infelizmente isso está longe de ser realidade. Faça um trabalho de pesquisa, converse com suas amigas e localize os bazares e brechós inclusivos que acontecem na sua região e auxilie na divulgação deles, para que mais manas curvilíneas tomem conhecimento. A melhor propaganda ainda é o bom e velho “boca a boca”, o que ajuda eventos como estes a serem comemorados e cada vez mais reconhecidos e desejados pelo público.

 

Leia também: 

As polêmicas leggings plus size: elas são calças, sim!

Tamanho único pra quem? A saga da meia-calça arrastão

 

Aqui no Vale do Sinos, o Bazar das Cinco, evento que eu colaboro, está na sua quarta edição e teremos desapegos plus size! Se você se identifica com meu estilo, aproveita! Tem várias peças minhas à venda por um preço máximo de R$ 50,00!!! E claro, além do plus size, são quase 2.000 opções para todos os gostos, tamanhos e formas estarão disponíveis, além de artigos de decoração, escritório, artesanato e muito mais!

Tamanhos grandes Brechó das Cinco - Plus size

Confira informações e confirme presença no evento pelo Facebook clicando aqui.

 

Te espero, viu? Beijinhos e até a próxima publicação!

 

Minhas redes sociais:

Insta: @paulaguerra_
Face: paulaguerraa

 

5 motivos para você aderir ao ensaio boudoir plus size? Yes, please.

20 / 05/ 2017

 By Paula Guerra

Oi, meninas. Tudo bem? O post de hoje é sobre o ensaio boudoir. O nome desta modalidade fotográfica vem do francês e significa “quarto feminino” , uma espécie de closet onde as mulheres se banhavam, vestiam e se arrumavam no século XIV. Com este histórico, já dá pra saber que se trata de um ensaio picante e romântico ao mesmo tempo. Minha missão aqui é te dar 5 motivos para fazer um ensaio boudoir plus size.

 

Vem comigo:

 

1. Ao contrário do sensual, o boudoir não tem nudez como foco.

 

2. Os fotógrafos procuram explorar o lado mais íntimo de suas modelos, deixando-as sexies na medida certa e focando apenas no que elas acham adequado mostrar.

 

3. Eu, com minhas questões de aceitação, sempre ficava com um pé atrás de fazer algo que evidenciasse o que mais se diz sobre nós: ”gordinha tem que ser sexy”. Na minha percepção, este estereótipo precisa acompanhar toda mulher gorda porque a sociedade acredita que para compensar os quilos a mais, as plus size girls precisam oferecer seus corpos como pedaços de carne para serem mais “fáceis” na visão masculina, já que não seríamos suficientemente desejadas se fossemos ao contrário. E sabe quem pode (e deve) romper com esse paradigma esdrúxulo? Eu, você, todas nós!

 

4. PAAAAAAARA, TÁ ERRADO! Gordas, magras, altas, baixas, QUALQUER MULHER, deve se sentir sexy. Para o seu parceiro, para o “crush, mas principalmente: para si mesma!

 

5. O ensaio boudoir vai além de posar com carão e lingerie bonita, vai além da produção e edição fotográfica, vai além da sensualidade. É empoderador! Faz com que a gente se veja com outros olhos, porque muitas vezes, por mil razões, esquecemos de nos enxergar como mulheres desejáveis e merecedoras de elogios. Que tal dar um presente para você mesma? Recomendo!

 

Inspire-se:

Ensaio boudoir plus size

Ensaio boudoir plus size

Leia também: Tamanho único pra quem? A saga da meia-calça arrastão

 

Espero que tenham gostado do post. Comentem!

 

Minhas fotos foram feitas em parceria com o Lucas Monti. Siga ele no Instagram. Te espero nas minhas redes, mana: Face ou Insta

 

Fotos: Reprodução web e Arquivo Pessoal

 

As polêmicas leggings plus size: elas são calças, sim!

10 / 05/ 2017

 By Paula Guerra

Demorei um pouco mas estou de volta! Hoje vamos falar sobre uma coisinha bem chata sobre uma peça que não sai do meu guarda-roupas e, provavelmente, também não sai do seu: as leggings! No meu caso, leggings plus size!

Leggings plus size

Você sabia que para muitas mulheres elas NÃO são consideradas CALÇAS? Pois é! Existe ainda quem considera essas peças confortáveis e coladinhas como exclusividade esportiva ou para usar por baixo de outras roupas. E claro, quem é a parcela da sociedade que mais as utiliza? Nós mesmas, as gordelícias! A dificuldade de encontrar jeans nas lojas populares nos faz correr em busca das leggings plus size e sofrer preconceito por simplesmente optarmos por algo que estica e ressalta nossas curvas, frequentemente, por falta de opções.

 

Vejo a falta de numerações adequadas nos fast fashions (que muitas vezes só produzem até o 46) e o descaso da moda popular em abranger consumidoras plus size como um preconceito impregnado no segmento. São muitas as pressões sociais sobre os nossos corpos, mas digo, repito e defendo que leggings são calças sim!!! Vai ter muita gorda estilosa ostentando bundão e coxão neste inverno. Eu vou! E você? Vamos juntas! <3
Só jogar no Google que ainda vemos quotes inaceitáveis sobre o assunto.

Mas também vemos mensagens incríveis! YOU GO, GIRL!

 

“Alguém que não concorda que leggings são calças pode lutar fisicamente comigo e eu irei vencer, porque tenho maior mobilidade pelo fato de estar usando leggings como calças.”

Inspire-se nestes 4 looks divinos que eu separei para vocês e veja como é possível transformar completamente o status dessa peça de origem esportiva. 

Leggings plus size

Até a próxima! Beijinhos!

 

Imagens: Reprodução/Web

 

Bomber jacket fever: como usar a queridinha da estação

25 / 04/ 2017

 By Paula Guerra

Oi, gente! Tudo bem? O post de hoje é sobre uma peça que chegou com tudo e conquistou o coração das fashionistas pelo mundo: a jaqueta bomber. Com elásticos nos punhos e no comprimento, estas jaquetas surgiram no período da 1ª Guerra Mundial, para manter os combatentes aquecidos em períodos de frio intenso. Atualmente, a peça está repaginada e é uma das queridinhas da temporada. Com um pegada mais esportiva, elas vão bem com quase todas as combinações.

 

Bomber jacket fever para inspirar as manas curvilíneas:

A bomber jacket é a sobreposição perfeita para valorizar a cintura e o colo. Se joga nela, mana! Por conta dos elásticos nas mangas, estas peças tendem a ficar mais soltinhas nos braços, super confortáveis para os dias de outono. Por baixo, OUSE! Aposte em blusinhas mais justas, transparência, bodies e t-shirts divertidas.

 

Elas também ficam incríveis com camisetas e vestidinhos básicos, pois dão um up na produção. Jeans é sempre uma boa pedida e você pode arrasar por aí combinando-as com outro trend do momento: as calças rasgadas.

A jaqueta bomber se adapta aos mais variados estilos, depende de como você irá montar sua composição. O que está em alta são os looks athleisure, que misturam peças casuais e esportivas que deixam o outfit cheio de estilo e personalidade, que tal?

 

Tenho visto opções maravilhosas (com tamanho GG, uhuuu) nas lojas de fast-fashion como Renner, C&A e Forever 21. Vale a pena dar uma passadinha nas unidades mais próximas para conferir.

 

A minha favorita é essa da Wear Ever (loja favorita da vida), que tem um unicórnio nas costas. ♥

Na foto: eu e a Nicole do blog Fashionick

 

E aí, curtiu? Que tal aderir a este modelo de jaquetinha que tem tudo para ficar LINDA em você?

 

Era isso por hoje! Até o próximo post, girls. Espero vocês nas minhas redes sociais!

 

Instagram: @paulaguerra_
Facebook: /paulaguerraa

 

Tamanho ”único” pra quem? A saga da meia-calça arrastão

18 / 04/ 2017

 By Paula Guerra

Oi, girls. Tudo bem? Esse é o meu primeiro post oficial como blogueirinha da Margot e hoje vamos conversar sobre a tendência da meia-calça arrastão. Este item voltou com tudo e podemos ver diversas fashionistas desfilando por aí com meia por baixo da calça jeans rasgada, usando com saia, shorts e outras peças que ficam incríveis se combinadas com a queridinha da vez.

 

A meia-arrastão foi um clássico dos anos 80, principalmente na cena rock/punk e como tudo na moda é um ciclo, ela está de volta com uma pegada mais moderna. Até aí, tudo lindo e maravilhoso. Até eu, com meu manequim 44/46, querer aderir ao trend. Fui até a loja da Lupo no shopping de Novo Hamburgo para adquirir a tal must have. Quando chego, questiono a vendedora – “Oi, moça! Tem meia arrastão?” Ela rapidamente me disse que sim e então eu paguei e levei feliz da vida! Junto com ela, comprei uma calça jeans soltinha em outra loja, na qual fiz rasgos bem grotescos, tudo como manda a febre fashion do momento.

Queria usá-la para uma viagem a São Paulo, mas para minha surpresa, vestir aquela meia foi uma verdadeira tortura! As “redinhas” da arrastão até esticaram bastante no meu caso, pois sou baixinha, mas o elástico da cintura é projetado para manequins até o 40/42 no máximo e, quando chegou na parte do quadril, parecia que não iria subir de jeito nenhum.

O tal look com meia arrastão.

 

Após tentar esticar de todas as formas, consegui vestir, porém, com o tanto que forcei, a meia rasgou em alguns pontos. Tudo certo. Por baixo da calça ninguém iria ver e eu conseguiria ficar mais ou menos “confortável”. Me enganei. A meia me incomodou tanto, que chegando ao meu destino, após algumas fotinhos pra registrar o outfit que tanto custou pra colocar, prontamente troquei para algo que não limitasse meus movimentos.

Depois de todo esse relato eu levanto um questionamento: tamanho “único” pra quem? Pra mulheres que vestem do 34 ao 42? E o restante da população feminina, curvilínea e estilosa que quer usar as tendência tudo? Fiquei decepcionada. Eu sabia que o fabricante produzia a meia arrastão somente nesta proporção, mas não achei que fosse tão limitada. Acredito que as marcas que produzem o tamanho “U” e colocam uma tabela que, claramente não comporta à todas atrás de seus rótulos, não deveriam usar este termo. Até porque, magrinhas ou gordinhas, concluo que não existe um tamanho único. Cada mulher possui formas diferentes e já temos que nos preocupar tanto com as outras letrinhas que rotulam os nossos corpos: PP, P, M, G, GG, EG e afins. ALÔ MARCAS, vamos produzir as peças cool em grande escala mas também em tamanhos REAIS? Minha utopia.

 

Após esse desabafo, finalizo por aqui! Espero que tenham gostado, lindas. Vejo vocês nas minhas redes sociais. Instagram: @paulaguerra_ e Face: paulaguerraa

 

Até o próximo post, beijo! <3

 

Sobre quem eu sou, porque estou aqui e os rumos do Lado GG

10 / 04/ 2017

 By Paula Guerra

É sempre muito bom falar sobre o que a gente gosta, mais do que isso, é muito bom falar sobre o que a gente é. Eu assumo o Lado GG com uma missão muito importante: além de produzir conteúdo voltado para um público tão especial quanto o plus size, também entro com a missão de propagar a aceitação. Aceitação essa, que por vezes é difícil pra mim e, por isso, eu vou utilizar este espaço para aprender e dividir meus anseios nessa luta diária que é a busca pelo amor próprio. Mas, afinal, quem é Paula Guerra? Eu sou uma guria de pernas curtas e sonhos gigantes. Tenho 21 anos, sou gaúcha, nascida e criada em Novo Hamburgo. Sou escorpiana e me considero decidida, curiosa e otimista.

FOTOPERFILPAULA

Escolhi ser jornalista aos 9 anos e, agora cursando, vejo que fiz a escolha certa. Eu gosto de moda, redes sociais, entretenimento e assuntos relacionados à beleza, mais especificamente nas áreas de glam & makeup, porque eu amo e não vivo sem maquiagem, vide o delineado gatinho de todo dia, rs. Vim parar na Margot Magazine através da Nicole Dias, que escreve para o blog Fashionick, através da indicação dela veio o convite e eu não poderia estar mais feliz por isso. Deixo aqui o meu agradecimento público para à Nic, minha colega de trabalho (chefinha, hihi) e amiga e também às meninas da Margot por esta oportunidade. <3

Eu espero continuar fazendo o excelente trabalho que a diva Janice Piasson fazia e seguir encorajando e compartilhando ideias e assuntos voltados às manas curvilíneas. Dito todos esses protocolos de primeiro post, é isso por hoje, né? Vamos nos conhecer melhor ao longo das publicações e eu não vejo a hora de começar a escrever pra vocês! (Esqueci de citar que sou ansiosa também, hehe). Enfim, até loguinho. ♥ Beijos!