Acessar versão desktop

MODA

ACESSÓRIO

BEAUTÉ

LIFESTYLE

BLOGS

MARGOT STREET

Saiba como usar o treinamento funcional a favor do seu mapa hormonal

Instagram

25 / 10/ 2015 em: 

 BeautéFitness ; By Marcela Brown

Quem pratica exercício físico regularmente sabe muito bem o quanto esse “vício permitido” é valioso em todos os sentidos. E, acredite, o papo fitness aqui é para muito além da estética. As Margots, por exemplo, aderiram recentemente ao treinamento funcional no Equilíbrio Centro de Condicionamento Físico, em Novo Hamburgo, em busca não apenas do tão sonhado #projetoverão2016, mas principalmente à procura de qualidade de vida. Estamos encantadas porque além de uma dinâmica única a cada treino o espaço ainda se preocupa com uma questão que a gente sempre levanta, que é a saúde com conteúdo. Além dos profissionais que zelam pela eficácia de cada exercício, alguns encontros extras se dedicam a esclarecer dúvidas entre os alunos. Dia desses, assisti à palestra ministrada pelo médico endocrinologista Eduardo Camargo e foram tantas informações proveitosas que achei legítimo um post sobre o tema em cartaz: exercícios e reposição hormonal na visão do endocrinologista.

Academia Equilibrio 2

Foto: Equilíbrio/Divulgação

 

Você já parou para pensar no funcionamento do seu corpo como um todo e nos benefícios que você poderia alcançar com o simples abandono do sedentarismo? Alguns hormônios até bem famosinhos entre quem malha como, por exemplo, a endorfina, operam quase como um antidepressivo natural em nosso organismo, nos proporcionando a tal sensação de bem-estar pós treino, sabe? E não é apenas isso, a endorfina também faz as vezes de analgésico. Eu sou prova viva de que funciona porque por muitos anos enfrentei um problema crônico de cefaleia tensional – vulgo dor de cabeça. Peregrinei entre os melhores neurologistas do estado e todos eles foram unânimes em afirmar que a minha cura estaria na atividade física. Estavam certos. O alívio da dor, nem preciso dizer, foi de fundamental importância na minha vida, em todos os âmbitos dela.

 

Academia Equilibrio 1

 

Foto: Equilíbrio/Divulgação

 

Mas, para minha surpresa, conforme o Dr. Eduardo Camargo, a prática regular do meu treino funcional não é eficaz apenas para minhas dores, disposição física, humor, concentração… Nosso corpo produz outros tantos hormônios que, ao serem liberados, conferem muitos benefícios à saúde e estética do nosso corpo. O fato de não ouvirmos falar tanto deles não significa que sejam menos importantes. “Para entender melhor como funciona o nosso sistema endócrino e o que ele reflete em nosso corpo, é necessário entender como as glândulas endócrinas funcionam”, explica o médico, complementando que os hormônios podem ser esteroides (lipossolúveis, ou seja, atuam direto como receptor) e não esteroides (necessitam se locar em um receptor). Para moldar nosso sistema, os quesitos alimentação + exercícios físicos são fundamentais.

Academia Equilibrio 3

Foto: Equilíbrio/Divulgação
No comando de outras glândulas, a hipófise é a nossa glândula mãe e produz os principais hormônios como TSH, hormônio do crescimento (GH – efeito anabolizante que diz respeito à massa muscular) e ocitocina. “O exercício sempre vai liberar o hormônio do crescimento, que começa agir a partir de 30 minutos do treino e vai até as próximas 4 horas. Vai melhorar a captação de proteínas e carboidratos após treino e queima de gordura”, expõe Camargo. Ainda em relação à massa magra, a alimentação se torna extremamente importante. Uma dica é consumir um pouco de proteína antes e depois do treino. Uma boa noite de sono também é fundamental para sua atividade física, pois durante o sono também produzimos o hormônio do crescimento, favorecendo a queima de massa gorda e aumento de massa magra.

 

Com certeza você deve conhecer alguém acometido por hipotireoidismo ou hipertireoidismo e que necessite de reposição hormonal receitada pelo médico para uma ou outra situação. É que, de acordo com Camargo, a tireoide atua como gasolina para o nosso corpo. Para que nossas células entrem em ação, o corpo precisa do hormônio da tireoide, que mantém o metabolismo equilibrado.
As glândulas suprarrenais ou adrenais são as que mais concentram produção hormonal. Todos os hormônios por elas produzidas, exceto o cortisol (que age em situações difíceis ou diante de muito estresse), aumentam com a atividade física. Hormônio masculino, a testosterona possui efeito anabolizante e diminui com a idade. Algumas mulheres aderem à reposição de testosterona como anti-idade mas, atenção: os benefícios não são válidos ante os efeitos colaterais. As adrenais produzem ainda a famosa adrenalina, que mantém nosso corpo a ponto de bala, e a insulina, que não aumenta com a atividade física. “Quem deseja queimar gordura não deve utilizar açúcar antes ou pós-treino. A insulina baixa durante o treino para que se tenha glicose disponível para executá-lo”, adverte o endocrinologista.
Por fim, chegamos às gônadas no nosso organismo. Nas mulheres, elas se situam nos ovários (estrogênio, cuja reposição é contraindicada com indicada com moderação no período pós-menopausa). Nos homens, elas se situam nos testículos (testosterona). O especialista reitera que, a menos diante de alguma doença que iniba a produção de testosterona, não se deve repor este hormônio.

mapa-hormonal-equilbrio-novo-hamburgo (2)

Arte: Raquel Deboni / Foto: Especial / Modelo: Tuani Mallmann

 

A Margot Magazine achou por bem conversar ainda com um dos coordenadores do Equilíbrio Centro de Condicionamento Físico e especialista em treino funcional para tirar mais algumas dúvidas que poderiam surgir entre os internautas. Com a palavra, o educador físico Jonas Koch:
Margot Magazine – Em relação à questão hormonal, a elaboração do treino funcional respeita as diferenças de estrutura corporal masculina e feminina? Como isso é orquestrado junto ao treino?

Jonas Koch – O treinamento funcional e nenhum outro método de treino vai levar em conta a questão hormonal para diferenciar um treino para homens ou mulheres (pelo menos não deveria). Homens e mulheres produzem hormônios em proporções  diferentes, mas isso não influencia na montagem do programa de treinamento.

 

Margot – A questão hormonal também é levada em consideração ante os anseios do aluno (emagrecimento, ganho de massa magra, aumento ou diminuição de medidas, etc) no sentido de observar seus objetivos + aspectos hormonais para elaborar um treino adequado com foco nos melhores resultados?

Jonas – Mais ou menos. O que tem impacto na resposta hormonal, de forma positiva, em um treinamento é a intensidade e o volume. Quanto maior a intensidade de um treinamento, maior a resposta de hormônios anabólicos no organismo. E é isso que combinado com uma alimentação hiper ou hipo calórica vai trazer o resultado de emagrecimento (alimentação hipocalórica) ou hipertrofia (alimentação hipercalórica). Então, indiferente do objetivo do aluno, ou se é homem ou mulher, para ter impacto na produção hormonal de forma positiva, o treino tem que ter intensidade! O volume é a outra variável que deve ser controlada, pois um treino muito longo vai favorecer a produção de hormônios estressores, que não vão trazer benefícios para ninguém.

 

Margot – De que forma o aluno pode usar as reposições hormonais ao seu favor no sentido de buscar benefícios para sua saúde + resultados estéticos?

Jonas – A única forma de fazer uso de reposição hormonal é com orientação e indicado por um médico especialista no assunto.

 

Margot – A questão alimentar está relacionada ao combo prática de atividade física + hormônios?

Jonas – Totalmente. Sempre digo que o treino não traz resultados. Um bom treino, com uma boa intensidade, dá estímulos para resultados e cria o que chamo de uma “situação favorável” para alcançar os objetivos. E estes estímulos só se transformarão em resultados quando encontrarem a alimentação adequada. De nada adianta o aluno fazer um ótimo treino para hipertrofia (criar a situação para a hipertrofia acontecer) e não comer de forma adequada. Sem a quantidade ideal de nutriente e os alimentos certos, a hipertrofia não ocorrerá.

 

mapa hormonal - dicas (3)

 

Então, gente? Fazendo o que aí? Bora treinar que o #verao2016 já está batendo na porta.

 

 

instagram.com/margotmagazine



SEJA NOSSA AMIGA!

FAÇA O CADASTRO NA TUA REVISTA DIGITAL FAVORITA E FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS NOVIDADES E SORTEIOS!


Instagram

Comentários

3

Comente

3 comentários em “Saiba como usar o treinamento funcional a favor do seu mapa hormonal”

  1. Tuani Mallmann disse:

    adorei as dicas! explica direitinho como só treinar não faz diferença. Precisamos nos esforçar pra comer bem (essa é a parte mais difícil pra mim hahah)

  2. Cristina disse:

    Adoreii!!!! Acredito que todos deveriam ler essa matéria super completa! Dicas e explicações super importantes para o projeto verão e vida saudável! Parabéns!!!!

  3. Cláudia Moretto disse:

    Adorei o texto! A palestra foi incrível mesmo… No final das contas, alimentação saudável e exercício físico continuam sendo os melhores amigos de quem quer manter o corpo e a saúde em dia! 😉

Você vai gostar também:

topo

NÃO, OBRIGADO.