Acessar versão desktop

MODA

ACESSÓRIO

BEAUTÉ

LIFESTYLE

BLOGS

MARGOT STREET

Quantas horas por dia você fica no WhatsApp?

Margotmagazine avaliações no TrustedCompany.com Instagram

02 / 10/ 2017: 

 By Bruna Schneider

A cena é um encontro entre amigos. Devido à correria do dia a dia, o grupo não consegue se ver com tanta frequência. Para assuntos mais corriqueiros, eles conversam através de um grupo de WhatsApp. Na verdade não é beeem uma conversa, é mais um aglomerado de risadas com os melhores gifs e memes da semana.

Quantas horas por dia você fica no whatsapp

O grupo finalmente se encontra em um bar, para, como disseram, “matar a saudade” e saber o que há de novo. A noite chega, todos se saúdam, e 15 minutos depois todos estão reclusos com seus smart phones nas mãos, rolando seus feeds para saber o que há de novo.

 

Cena clássica, não é?

 

Momentos assim têm me angustiado já faz um bom tempo. Vale ressaltar que sou uma entusiasta e apaixonada por tecnologia. Por mais que eu tenha uma certa fobia de WhatsApp, acho todos os aplicativos de redes sociais sensacionais! Inclusive, eles são a minha fonte de renda mensalmente. Mas qual é o limite?

Quantas horas por dia você fica no whatsapp

Uma pesquisa divulgada pelo Daily Mail afirma que os homens chegam a manter o celular por perto 17 horas diárias, enquanto que as mulheres ficam por 15. O mesmo estudo mostra que em uma noite típica os britânicos gastam 48 minutos em telefonemas, enviam uma média de três e-mails, 12 mensagens de texto e duas fotos. Ah, e ainda postam três mensagens e duas atualizações no Twitter.

 

Alguma diferença entre eles e nós?

 

Sherry Turkle, psicóloga norte-americana do MIT, dedicou um bom tempo de sua vida para estudar este fenômeno. Segundo ela, “Nós nos escondemos uns dos outros porque é mais fácil compor e editar uma mensagem digital do que a conversa espontânea na qual podemos estar presentes e ser vulneráveis”. Alguns de seus entrevistados reconhecem que preferem “enviar uma mensagem” em vez de ter uma conversa “incômoda” com outra pessoa “na qual não podem controlar o que vão dizer”.

 

Ou seja, a vida real incomoda, expõe nossos medos e nossas fragilidades. É fácil de inibir nossas ações por causa disso. Antigamente nós nomeávamos este fenômeno de timidez. Como podemos chamar hoje em dia?

 

Não estou aqui bancando a analógica que coloca uma placa “Não temos wi-fi, conversem entre vocês”. É chato. Mas um equilíbrio sempre vem bem. É desumano disputar a atenção de alguém com um dispositivo que coloca o mundo ao seu alcance. A vida ali é muito melhor, mais bonita, os filtros são ótimos e você pode conversar com quem quiser a qualquer momento. Não é sensacional? Mas a vida real e a conversa olho no olho também satisfaz, provoca, desperta sentidos.

 

Levantar a cabeça e olhar ao redor não é apenas um exercício para corrigir postura, mas também deixa as nossas relações mais saudáveis.

 

Leia também:

Preocupações desnecessárias dos 20 e poucos anos (ou qualquer idade mesmo)

Vida em modo automático: não sou obrigada

O que esperar da minha carreira?

 

Imagem: Web/Reprodução

 



SEJA NOSSA AMIGA!

FAÇA O CADASTRO NA TUA REVISTA DIGITAL FAVORITA E FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS NOVIDADES E SORTEIOS!


Margotmagazine avaliações no TrustedCompany.com Instagram

Comentários

0

Comente

Você vai gostar também: